terça-feira, 8 de Dezembro de 2009
 Publicado em : http://cadernodaritacuca.blogspot.com/2009/12/sorriso-da-diferenca-um-exemplo-seguir.html

"Sorriso da Diferença" - Um exemplo a seguir!

Três finalistas do 12º ano do Centro de Estudos de Fátima desenvolvem um trabalho para a Área de Projecto. O tema escolhido para esta área curricular foi Patologias Psiquiátricas, tendo como título "O sorriso da Diferença".
O projecto consiste num conjunto de actividades lúdicas, que decorrerão em Fátima, durante o mês de Abril, com o objectivo de sensibilizar a população para a questão da deficiência.
O jovens agarram o projecto com paixão e ambição, querendo dar o seu contributo contra a discriminação. Cada um dos três alunos patilha a sua visão sobre a deficiência, tendo todos o mesmo objectivo.
“Quero dar a conhecer à população em geral esta realidade, quero aprofundar os meus conhecimentos acerca da temática em causa e sobretudo puder contribuir para um mundo mais sensível onde a diferença não seja vista de lado!!!” – diz o Vasco.
Joana conta que se sente revoltada com a forma negativa como a sociedade olha para os deficientes: “Pretendo, assim, através do trabalho de Área de Projecto, mostrar à sociedade que as pessoas portadoras de certas doenças têm, tal como todos, imensos objectivos, querendo também colaborar na diminuição dos obstáculos injustificados que lhes são colocados durante o caminho para alcançar os seus sonhos. Desejo, sobretudo, contribuir, o pouco que seja, para alterar a visão errada que a maioria da sociedade tem em relação a esta temática”. Assim como Cláudia: “encaro este projecto como uma possível forma de mudança, de mentalidades, ideias, costumes da nossa sociedade, apesar de ser um projecto muito ambicioso, bem sei, e talvez inglório, pois vivemos um “país fechado”, retrógrado quando toca à diferença, à novidade. Infelizmente, vivemos numa sociedade que rejeita, desrespeita, “agride” as pessoas que têm uma diferença, a qual deveria ser vista com normalidade, carinho e afecto, pois são pessoas que não têm culpa de serem portadoras de determinada doença, que têm sentimentos, ideias, objectivos e sonhos, como os “ditos normais” e portanto precisam de ser ouvidos, ajudados a realizar esses sonhos, a mostrar as suas qualidades, a serem felizes. Por isto tudo, considero imperioso fazer alguma coisa para que os direitos destas pessoas sejam finalmente cumpridos e respeitados. Anseio mudar a mentalidade da sociedade, ambiciono deixar a minha marca, numa sociedade tão egoísta, torná-la diferente e mais uniforme, algo, que parece impossível, mas tenho algo dentro de mim que obriga a agir e não baixar os braços, pois esta realidade, em que hoje vivemos entristece-se-me”.
Numa sociedade individualista como a nossa, é de louvar que três jovens, sem qualquer tipo de incapacidade, se preocupem e disponham a lutar contra a discriminação das pessoas com deficiência. Que muitos outros sigam o seu exemplo, porque só assim é que teremos um mundo mais justo, unido e feliz!
O grupo pediu-me ajuda e eu não pude deixar de dar o meu pequeno contributo para este grandioso projecto. Para tal, criei o logótipo “Sorriso da Diferença”.
Publicada por Rita C.
Hugo Ferreira
31/12/2009 04:21:00 am

Quando vi pela primeira vez o site/blog, sabia que deveria dar o meu apoio a esta iniciativa. Mas este é como é sabido um assunto que corre em corredores anónimos, deambula em toda a nossa volta, nós criamo-lo, pois não existe duas pessoas iguais, não existe ninguém "normal", todos temos as nossas características, apenas uns mais diferentes do que outros.
É por isso que ninguém consegue verdadeiramente escapar a essa questão esquecida pela consciência da sociedade de hoje. Mas a mudança não é impossível.
A frase "Já é tarde demais para mudar" e outras do género muitas vezes usadas na defesa de uma pessoa que vive na inercia e como tal, é precisa uma força para por essa massa em movimento ;)
Existem muitas questões no nosso mundo, hoje, tantas que muitos escolhem simplesmente ignora-las. Talvez esse caminho seja mais "suave", no entanto não podemos esquecer que numa sociedade em rápido progresso cientifico, não podemos perder o nosso sentido de identidade mas, ao mesmo tempo, encontrar as respostas que a humanidade precisa para sobreviver enquanto espécie e enquanto sociedade digna de receber o titulo de sociedade avançada.
Isto tudo para dizer apenas, bom trabalho, e embora por vezes não se vejam os efeitos do nosso trabalho, muitas vezes eles estão lá, sementes plantadas nos terrenos da mente humana esperando, apenas que sejam regadas para, por fim, darem frutos que ponham esta sociedade em movimento, em avanço moral e humanitário e social, para que esta parte de nós não fique para trás da velocidade do avanço cientifico que todos os dias ocorre em laboratórios em todo o mundo. Enfim que o respeito pela diferença evolua e que se perceba, finalmente, que a diferença não é algo mau, é algo quase extraordinário, e que permite ver o mundo por outros olhos no sentido de nos melhorar-mos a nós mesmos e à nossa sociedade....

Bom trabalho :)
e feliz ano 2010!! ;D

Reply



Leave a Reply.